terça-feira, 18 de novembro de 2014

Aposta

Aposta

Um dia vira-se o Pai do Zezinho orgulhoso, para o povo do tasco:

-O meu filho é capaz de comer duas valentes postas de bacalhau e uns dois quilos de batatas 
cozidas, vocês nem sabem o que ali está! Se alguém quer apostar, eu aposto.

E diz o Zezinho:

-Aposte Pai, aposte que ganha.

Torna a dizer o Pai do Zezinho para o povo:

-Ele come, sem lhe custar nada, tanto como quatro homens que se ponham ao lado dele a comer. 
Não acreditam? Faço uma aposta com quem queira.

E diz o Zezinho:

-Aposte Pai, aposte que ganha.
No tasco ninguém ligou, nenhuma ao que o Pai do Zezinho dizia, nisto torna-se a virar o Pai do 

Zezinho para o Povo do tasco:

-Mas também é capaz de trabalhar como dois homens dos mais valentes, a cavar, na vinha ou em 
qualquer trabalho. Ele…

Nisto interrompe o Zezinho:

-Pai ponha-se com apostinhas de merda e depois diga que perde.
                                                                 


                                                                           






































Sem comentários:

Publicar um comentário

Anterior  photo rsz_feed-compressor-compressor_zpsf7904c18.png  photo rsz_feed-compressor-compressor_zpsf7904c18.png